【AZIA】Remédios Para Azia que Realmente Funcionam

Os sintomas da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) podem ser dolorosos e, se continuarem, podem levar a complicações, incluindo esofagite. Esofagite é irritação ou inflamação do esôfago.

Você pode fazer alterações em seu estilo de vida para ajudar a aliviar seus sintomas de DRGE.

Aqui estão algumas coisas para tentar:

 

→ PRINCIPAIS DICAS FINAL DO ARTIGO

Quer ver depoimentos e dicas sobre Azia

Deixe seu comentário no vídeo abaixo!

Trabalhamos com amor e dentro do possível seu comentário será respondido!

Este conteúdo não substitui uma consulta medica!

#dietablogbr

 

(VÍDEO) → 7 Soluções Caseiras Para Aliviar Azia Imediatamente

Mude seus hábitos alimentares

– É melhor comer várias pequenas refeições em vez de duas ou três refeições grandes.

– Depois de comer, espere 2 a 3 horas antes de se deitar. Snacks de fim de noite não são uma boa ideia.

Chocolate, hortelã e álcool podem piorar a DRGE. Eles relaxam a válvula entre o esôfago e o estômago.

– Alimentos picantes, alimentos com muito ácido (como tomates e laranjas) e café podem piorar os sintomas da DRGE em algumas pessoas.

Se os seus sintomas piorarem depois de comer um determinado alimento, você pode parar de comer os alimentos para ver se os sintomas melhoram.

– Não fume nem mastigue tabaco.

– Se você tiver sintomas de DRGE à noite, levante a cabeceira da cama de 15 cm a 20 cm, colocando a armação em blocos ou colocando uma fatia de espuma sob a cabeça do colchão. (Adicionando travesseiros extras não funciona).

– Evite ou reduza a pressão no estômago. Não use roupas apertadas ao redor do meio.

– Perca peso se precisar. Perder apenas 5 a 10 libras (entre 2,26 a 4,53 kg) pode ajudar.

 

Como você pode modificar seu estilo de vida para aliviar os sintomas da DRGE?

Há muitas mudanças que você pode fazer no seu estilo de vida que podem ajudar a aliviar ou reduzir os sintomas da doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). Estas são algumas sugestões:

 

– Parar de fumar

Se você fuma ou mastiga tabaco, pare. A nicotina do tabaco relaxa a válvula entre o esôfago e o estômago (esfíncter inferior do esôfago).

Isso pode permitir que o ácido do estômago e sucos, os produtos químicos que quebram os alimentos no estômago, para fazer backup (refluxo) para o esôfago, o que provoca azia.

 

Como a nicotina do tabaco é viciante, interromper o uso do tabaco é mais difícil do que simplesmente mudar um hábito.

Aqueles que conseguiram parar de fumar costumam usar uma combinação de estratégias que podem incluir:

– Aconselhamento profissional, por telefone ou pessoalmente.

– O uso de medicamentos, para ajudar a superar o vício da nicotina.

– Participação em um programa comprovado de cessação do tabagismo.

– Ter um grupo de apoio de colegas que também estão desistindo ou que não fumam.

O uso de mais de uma dessas estratégias melhora muito suas chances de desistir com sucesso.

Deixar de fumar pode exigir várias tentativas.

 

Mudando seus hábitos alimentares

Desenvolver hábitos alimentares mais saudáveis, perder peso, se necessário, e evitar alimentos que aumentam os sintomas da DRGE podem tornar menos provável a ocorrência de azia.

Leve seu cônjuge ou parceiro junto com você quando for ao seu médico discutir os hábitos alimentares.

Será mais fácil fazer mudanças em sua dieta se sua família entender o que você precisa fazer e por quê.

Alterações que você pode querer fazer incluem evitar chocolate, hortelã e álcool. Estes podem piorar a DRGE, relaxando a válvula entre o esôfago e o estômago. Também pode ser uma boa ideia comer refeições menores e mais frequentes.

Se você está com excesso de peso, perder peso. Estar acima do peso coloca uma pressão adicional no estômago e aumenta a probabilidade de ocorrência de azia. Perder apenas 5 a 10 libras pode ajudar.

Certos alimentos podem estar associados ao refluxo.

Embora eles não causem DRGE, comer esses alimentos pode piorar os sintomas, e evitá-los pode ajudar a reduzir a azia.

Estes incluem frutas cítricas, hortelã (como hortelã e hortelã), alimentos gordurosos e fritos, alho e cebola, alimentos condimentados e alimentos à base de tomate, como molho de espaguete e pizza.

Algumas pessoas notam que seus sintomas pioram depois de beber café, chá, refrigerante ou qualquer coisa com cafeína.

Se você perceber que seus sintomas pioram depois de comer um alimento específico, você pode querer parar de comê-lo e ver se seus sintomas melhoram.

 

Reduzindo a pressão no seu estômago

Colocar pressão no estômago pode empurrar os sucos do estômago para o esôfago, causando azia.

Algumas maneiras de reduzir a azia incluem o seguinte:

– Depois de comer, espere 2 a 3 horas antes de se deitar. Snacks de fim de noite não são uma boa ideia. Quando você está deitado, o conteúdo do seu estômago pode empurrar a válvula entre o esôfago e o estômago (esfíncter inferior do esôfago).

Sentar-se permite que a gravidade ajude os alimentos e os sucos gástricos do esôfago a retornarem ao estômago.

– Evite roupas apertadas sobre o estômago. Cintos apertados, cós ou meias-calças podem empurrar o estômago e piorar a azia.

– Tenha cuidado ao levantar e dobrar. Curvar-se tende a aumentar a quantidade de ácido no estômago que pode entrar em seu esôfago. Ao levantar, dobre os joelhos para evitar dobrar a cintura.

 

Melhorando a posição e os hábitos do sono

Elevar a cabeceira da cama de 15 cm a 20 cm ajudará a impedir que o ácido gástrico flua para o esôfago quando você estiver dormindo.

Você pode fazer isso colocando blocos embaixo da estrutura da sua cama ou colocando uma cunha de espuma sob a cabeça do seu colchão. Usar travesseiros extras não funcionará.

Deitar logo depois de comer também aumentará a chance de azia.

Depois de comer, espere 2 a 3 horas antes de se deitar. Snacks de fim de noite não são uma boa ideia.

ATUALIZADO: 19.04.18

DICAS » RECOMENDAMOS PARA VOCÊ »

Orlistat Benefícios
Dieta que Funciona
Hérnia Inguinal
Dieta Esportiva Cardápio
Dieta do Abacaxi
Dieta de 800 Calorias
Dieta do Alface para Emagrecer
Dieta de 500 Calorias Cardápio
Infecção por Salmonella
Dieta para Esteatose Hepática